Compartilhe!

formulario mailchimp

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

As grandes navegações portuguesas

As grandes navegações portuguesas

No século XV, foi o ponto de partida para as grandes navegações portuguesas. 

Nessa época Portugal já tinha intenções de conquistas territoriais e econômicas planejadas alem de suas fronteiras territoriais. 


Essa nação Procurava os Caminhos das Índias e suas especiarias e, também, a buscar do Ouro. Mas, para isso ela teria que se expandir pelo mar e sua localização geográfica, Península Ibérica, iriam beneficia as navegações portuguesas.

Contudo, para a expansão marítima portuguesa alem de suas terras, os portugueses teriam que saber navegar com os Navegadores Genoveses. Foi através das navegações na companhia dos genoveses que os navegadores portugueses deram seu primeiro passo rumo as navegações ultra-mar ( mar adentro distante das costas marítimas).

Essas navegações ultra-marinas eram financiadas com a maior parte dos recursos da Coroa Portuguesa que desejava ter mais controle e dominio dos povos conquistados: africanos e asiaticos. Os reis portugueses foram os que mais lucraram com as navegações e conquistas.

Mais tarde com o conhecimento marítimos que os Portugueses adquiriram com os genoveses; sendo os portugueses responsáveis pela expansão maritima européia que influenciaria outras nações como Espanha, Holanda, França e Inglaterra. O pionerismo português foi tão brilhante que criaram a lenda da escola de sagres

As conquistas da áfrica e ásia relatadas pelos navagadores pareciam contos fictícios por causa das estranhas criaturas: elefantes, girafas, tigres,  macacos desde então, desconhecidos pelos portugueses. Também, os povos conquistados africanos e asiáticos eram admiração entre os lusitanos.

Mas, o foco dos portugueses estavam voltados para o caminho das índias, já que a Índia era a potencia suprema da Ásia na época. Os portugueses foram os pioneiros que desbravaram a trajetória alem-mar ate chegar nas Índias. O relacionamento entre portugueses e indianos era amistoso e com isso as duas nações; Portugal e Índia criaram um entreposto comercial e trocar de mercadorias como especiarias: perfumes, temperos, condimentos, roupas e tecidos.


Assim se resume o Destino de Portugal através do Poeta Luís Carmões: Portugal nasceu para o mar, trecho da obra “Lusíadas”.


Compartilhe no FACE!

0 comentários:

Postar um comentário